Protesto deixa sete cidades desabastecidas e caminhoneiros liberam pista só em Cuiabá

27/02/2015 09:33

O protesto, que já dura nove dias, já acarreta em graves problemas de abastecimento de combustíveis em sete cidades (Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Lucas do Rio Verde, Sorriso e Rondonópolis). 

Protesto deixa sete cidades desabastecidas e caminhoneiros liberam pista só em Cuiabá

Mais de 30 horas depois do deferimento de liminar para o desbloqueios de rodovias federais, os caminhoneiros resolveram dar trégua ao bloqueio mantido na BR-364, na saída de Cuiabá em direção a região Sul do Estado. O protesto, que já dura nove dias, já acarreta em graves problemas de abastecimento de combustíveis em sete cidades (Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Lucas do Rio Verde, Sorriso e Rondonópolis). Somente Cuiabá foi liberada no bloqueio e outras nove trechos permanecem fechados.

A previsão inicial da Polícia Rodoviária Federal era de que a liminar fosse cumprida apenas a partir das 9h da manhã de hoje, 27, mas os manifestantes – cientes pela imprensa da ordem judicial – deixaram a região da BR-364, na saída de Cuiabá, de forma pacífica a partir das 7h30.

A reportagem do Agro Olhar entrou em contato com um dos representantes do manifesto em Cuiabá e este pontuou “que não há jeito e terá de liberar a rodovia e o acostamento, porém já estamos pensando em um meio de continuar nosso protesto”.

Como o Agro Olhar já comentou o cumprimento da liminar, expedida pelo juiz César Augusto Bearsi, da 3ª Vara Federal, em Cuiabá, em atendimento a um pedido da União, terá o acompanhamento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para evitar quaisquer transtornos.

Em Mato Grosso estão bloqueadas as BR-163, BR-364 e BR-070. Os bloqueios, com os caminhões parados nos acostamentos, ocorrem em Cuiabá, Rondonópolis, Primavera do Leste, Sorriso, Sinop, Lucas do Rio Verde, Diamantino e Nova Mutum. Na MT-358 é realizado em Tangará da Serra. 

Já há casos de desabastecimento, conforme a reportagem apurou, de alimentos e combustíveis, bem como gás de cozinha e água em garrafões, em Cuiabá, Várzea Grande, Lucas do Rio Verde, Sinop, Nova Mutum, Rondonópolis e Sorriso. Em Várzea Grande a reportagem do Agro Olhar constatou, na Avenida Couto Magalhães, que na manhã de quinta-feira (26) um posto de combustível encontrava-se sem óleo diesel e etanol.

Apoio

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, por meio de sua assessoria de imprensa, a liminar começará a ser cumprida a partir das 9h em Cuiabá. Em nota a PRF frisou que atuará no sentido de organizar o trânsito, com o objetivo de evitar acidentes.

Ainda de acordo com a PRF, uma reunião com os líderes do movimento dos caminhoneiros na Capital foi realizada nesta quinta-feira (26) no sentido de explicar o teor da liminar e as consequências de seu não cumprimento, ou seja, autuação aos caminhões que estiverem parados nos acostamentos e rodovias e encaminhamento para a Advocacia-Geral da União para que se cumpra a multa diária de R$ 1 mil.

A PRF informa ainda que cada trecho bloqueado será “liberado” de cada vez para garantir o mínimo de fluidez no trânsito.

Multas de até R$ 10 mil

Na quinta-feira ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, determinou a Polícia Federal a abertura de um inquérito para apurar atos ilícitos dos manifestantes do transporte de cargas no Brasil e orientou a Polícia Rodoviária Federal a aplicar multa que pode chegar a R$ 10 mil por hora de caminhões bloqueando as rodovias federais.

Autor: OLHAR DIRETO
Fonte: OLHAR DIRETO

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!