COLUNA: VAMOS MUDAR DE ASSUNTO? - Por Alexandre Fernandes

04/02/2015 19:49

Tenho acompanhado colegas da imprensa, especificamente nos apresentadores que se utilizam de redação verbal e adotam um novo estilo de entre linha.  “Vamos mudar de assunto” este novo “bordão” (Palavra ou frase que se repete muito) tem sido interpretada pela minha pessoa como mudança de um assunto chato ou que não tem importância para seus ouvintes”. Interessante este novo comportamento, sendo assim, vou adotar este estilo e elaborar está crônica intitulada “VAMOS MUDAR DE ASSUNTO”, seja, se não for interessante, não pode ser importante.

 

O estado de Rondônia tem um novo rumo a ser seguido, iniciamos o ano com a posse do governador reeleito e no domingo (1) foram empossados os 24 parlamentares que iram compor as cadeiras da Assembleia Legislativa na Capital Porto Velho. Uma das grandes surpresas nesta composição é o ingresso de 13 novos parlamentares (ainda bem que não sou supersticioso; ou será que sou cético). 11 parlamentares são velhos conhecidos da casa que poderão contribuir com os bons resultados e ensinamentos aos novos aspirantes na câmara dos deputados estaduais. “VAMOS MUDAR DE ASSUNTO”, seja se não for interessante, não pode ser importante.

 

Diante do juramento e compromisso em cumprir as constituições Federal e Estadual, uma das prioridades foram os agradecimentos pela nova conquista, agradecimento há Deus (não colocar o nome de Deus em vão), agradecimentos aos familiares (sinônimo de nepotismo), agradecimento aos amigos (promessas de campanha), promessas de mudanças (Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso. O Menestrel – William Shakespeare). “VAMOS MUDAR DE ASSUNTO”, seja se não for interessante, não pode ser importante.

 

A Lei complementar 41, de 22 de dezembro de 1982 criou o Estado de Rondônia e em seu artigo 3º determinava o funcionamento de uma Assembleia Estadual constituinte, composta de 24 deputados a serem eleitos a cada quatro anos. Se contássemos desde o ano de 1912 quando o Poder Legislativo teve a sua origem, instalada no município de Santo Antonio do Rio Madeira, hoje teríamos 103 anos de história. História relatada por desbravadores, de sonhadores, de esperança, de oportunistas, de usurpadores e aqueles que desejam um futuro melhor para Rondônia. Mas quando tratamos de memórias, deixo para o jornalista Lúcio Albuquerque que tem meu apreço, para relatar toda essa história. Sem desmerecer os notáveis jornalistas Ciro Pinheiro, Carlos Sperança, o registro nas páginas do jornal “O Parceleiro” de Osmar Silva, enfim todos estes imortais da imprensa viva. “VAMOS MUDAR DE ASSUNTO”, seja se não for interessante, não pode ser importante.

 

Dedico está crônica a todos os profissionais da imprensa - Uma imprensa para ser livre precisa de um país que seja livre.

 

Alexandre Fernandes

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!